fbpx

Conheça a história do curitibano Daniel Silva, esperança curitibana nas paralimpíadas de Toquio

Hoje nós vamos contar um pouco mais sobre a história do atleta curitibano Daniel Silva, apoiado pela Lei de Incentivo ao Esporte da Prefeitura de Curitiba, levantador da Seleção Brasileira de Vôlei sentado e que já não vê a hora de fazer as malas e cruzar o mundo no ano que vem para competir nas paralimpíadas em Tóquio. Enquanto continua com os treinos, agora em ritmo mais leve por conta da pandemia, ele aguarda a tão sonhada convocação.

Daniel se descreve como uma pessoa ativa e o gosto pelo esporte sempre foi presente na vida dele. Em meados de 2004, começou a praticar vôlei sentado e como se adaptou bem à modalidade, passou a levar os treinos e competições a sério. Em 2006, descobriu que existe uma seleção brasileira de vôlei sentado e isso o motivou a ser uma atleta de ponta. Como ele diz “o sonho de defender a camisa verde e amarela começou a ser um objetivo alcançável, por isso eu entrei de cabeça e já em 2007, veio a minha primeira convocação para a seleção”.

O adiamento das paralimpídas causou uma certa tristeza, sentimento comum a todos os atletas que estão se preparando para a competição. “Eu recebia a notícia com muita tristeza, apesar de compreender que era isso mesmo que precisava ser feito para proteger a saúde de todos”, afirma.

Daniel está se preparando para Tóquio desde que acabou a olimpíada no Rio de Janeiro, em 2016. E esta não foi a única. Daniel já participou das paralimpíadas de Pequim, em 2008 e quatro ano mais tarde, foi para Londres. Além das paralimpíadas, Daniel compete diversos outros campeonatos interacionais e o prêmio mais importante, segundo ele, foi a medalha de prata que conquistou no mundial na Polônia em 2014. “O vôlei é a realização de um sonho para mim e é a representação perfeita de amar o que se faz”, afirma Daniel.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaques
Instagram